Imprensa


As mais recentes notícias, reportagens e documentários da imprensa sobre o Programa Nacional de Barragens, os rios nacionais e internacionais e as atividades do projeto Rios Livres e do GEOTA


 Barragens do Tâmega são o “maior atentado” à natureza em 2017, diz Quercus

Jornal de Notícias – 27 de julho de 2017

A associação ambientalista Quercus classificou esta quinta-feira as barragens em construção no Alto Tâmega, no distrito de Vila Real, como o “maior atentado” à conservação da natureza, em Portugal, em 2017.


MIMO Recorde com 60 mil garante 2018

Jornal de Notícias – 25 de julho de 2017

Festival de Amarante fechou em alta com Ala.Ni e Manuel Cruz


GEOTA – Associação ambientalista quer parar a construção das barragens do Tâmega

Notícias de Aguiar – 25 de julho de 2017


Rodrigo Amarante levanta a voz contra barragens no Tâmega

Diário de Notícias – 24 de julho de 2017

Cantor brasileiro aproveitou concerto em Amarante, no Festival MIMO, para se insurgir contra a construção de barragens no rio Tâmega


O Mimo perdeu o legado do samba para ter o legado do mundo

Público – 24 de julho de 2017

Foram 60 mil a procurar a música de todo o mundo em Amarante.


Rodrigo Amarante contesta barragem no palco do Festival MIMO

Jornal de Notícias – 23 de julho de 2017

O músico brasileiro Rodrigo Amarante deu, esta noite no Festival MIMO, um “chega p’ra lá” na pretensão da EDP em construir uma barragem em Fridão, Amarante.


Entrevista ao projeto Rios Livres do GEOTA | ÁUDIO

Rádio Clube Aguiarense – 19 de julho de 2017

Pedro Santos, do projeto Rios Livres, da associação ambientalista GEOTA, conversa com Luís Miguel Roçadas sobre a Caravana pelo Tâmega e a campanha “Vota Tâmega”.


Portugal em Direto: Barragens no Tâmega | ÁUDIO

Antena 1 – 18 de julho de 2017 

Barragens do Alto Tâmega são consideradas um balão de oxigénio para as economias dos concelhos abrangidos. Em sentido contrário, a associação ambientalista Geota lança “Vota Tâmega” contra a construção das barragens.


Campanha “Vota Tâmega” sensibiliza candidatos autárquicos contra barragens

LUSA/Diário de Notícias – 17 Julho 2017

A associação ambientalista GEOTA anunciou hoje a campanha “Vota Tâmega” que quer travar a construção de quatro barragens no vale do Tâmega e sensibilizar os candidatos às autárquicas 2017 para o impacto negativo dos empreendimentos.


Campanha “Vota Tâmega” quer parar a construção de novas barragens

Ambiente Magazine – 17 Julho 2017

Com o objetivo de que se pare a construção das barragens do Vale do Tâmega, surge agora uma campanha promovida pela associação ambientalista GEOTA, no âmbito do projeto Rios Livres, que dá pelo nome ‘Vota Tâmega’.


Vota Tâmega quer parar a construção de novas barragens

Agricultura e Mar  e Agroportal – 17 Julho 2017

A Vota Tâmega é uma campanha promovida pela associação ambientalista GEOTA – Grupo de Estudos de Ordenamento do Território e Ambiente, no âmbito do projecto Rios Livres. A acção pretende sensibilizar os candidatos a presidente de câmara nas eleições autárquicas de Outubro de 2017 para o “impacto negativo” das novas barragens no Vale do Tâmega: Fridão, Daivões, Gouvães e Alto Tâmega.


Campanha “Vota Tâmega” sensibiliza candidatos autárquicos contra barragens

LUSA/O JOGO – 17 Julho 2017

A associação ambientalista GEOTA anunciou hoje a campanha “Vota Tâmega” que quer travar a construção de quatro barragens no vale do Tâmega e sensibilizar os candidatos às autárquicas 2017 para o impacto negativo dos empreendimentos.


Campanha «Vota Tâmega» quer impedir contrução de novas barragens

A Bola.pt – 17 Julho 2017

A associação ambientalista Grupo de Estudos de Ordenamento do Território e Ambiente (GEOTA) está a promover uma campanha, no âmbito do projeto Rios Livres, que tem o objetivo de sensabilizar os candidatos autárquicos para o impacto negativo das novas barragens do Vale do Tâmega.


Ana Brazão analisa a construção da barragem de Fridão

SIC Notícias – 15 de junho de 2017

Ana Brazão, coordenadora do projeto Rios Livres, esteve esta quinta-feira, na Edição da Noite, onde analisou a construção da barragem de Fridão.


Ministério Público investiga barragens da EDP e Iberdrola

Jornal Económico, edição 1888, 9 de junho de 2017

Jornal Económico – 11 de junho de 2017

Inquérito foi aberto após queixa da GEOTA, com base em notícias sobre alegados subornos pagos pela Odebrecht, que com o grupo Lena construiu barragem do Baixo Sabor, aprovada pelo governo Sócrates.


MP investiga queixa do GEOTA sobre barragem do Baixo Sabor

LUSA/Diário de Notícias – 09 de junho de 2017

A Procuradoria-Geral da República (PGR) confirmou hoje que foi aberto um inquérito na sequência de uma queixa-crime apresentada pela organização ambientalista GEOTA relacionada com a barragem do Baixo Sabor.


MP abre inquérito após queixa do GEOTA sobre barragem do Baixo Sabor

LUSA/Público – 09 de junho de 2017

A Procuradoria-Geral da República (PGR) confirmou hoje que foi aberto um inquérito na sequência de uma queixa-crime apresentada pela organização ambientalista GEOTA relacionada com a barragem do Baixo Sabor.


Ministério Público investiga barragens da EDP construídas pela Odebrecht e pelo grupo Lena

Expresso – 09 de junho de 2017

Inquérito foi aberto após queixa do Grupo de Estudos de Ordenamento do Território e Ambiente (GEOTA), com base em notícias sobre alegados subornos pagos pela Odebrecht


GEOTA acusa Governo de beneficiar barragem da EDP no Tâmega

Esquerda.net – 8 de junho de 2017

Segundo o Grupo de Estudos de Ordenamento do Território e Ambiente, o executivo violou uma diretiva europeia, permitindo que a EDP avance com a barragem de Fridão. Apesar de suspenso até 2019, o projeto viu prolongado o seu prazo de validade. GEOTA vai apresentar queixa à Comissão Europeia.


Geota apresenta queixa à Comissão Europeia contra barragem da EDP no Tâmega

Agricultura e Mar e Agroportal – 7 de junho de 2017

O Conselho de Ministros aprovou uma Resolução que permite que a EDP avance com a barragem de Fridão, no Tâmega. Apesar de suspenso até 2019, para reavaliação, o projecto viu prolongado o seu prazo de validade. O Geota – Grupo de Estudos de Ordenamento do Território e Ambiente diz que a decisão “viola uma Directiva europeia” e vai apresentar queixa à Comissão Europeia.


Aquecimento Verbal – Emissão 207

16 de março de 2017

  • Save Europe’s Rivers, o projecto que quer proteger os rios da Europa;
  • Whanganui: o rio que passou a ter os mesmos direitos que os seres humanos;

Save Europe’s Rivers , o projeto que quer proteger os rios da Europa

Green Savers – 14 de março de 2017

Save Europe’s Rivers – Salvem os rios da Europa é uma iniciativa criada por associações ambientais de 7 países europeus, com o objectivo de alertar para as consequências negativas provocadas pela existência de mais de um milhão de barreiras nos cursos de água do Velho Continente.


Ambientalistas lançam movimento europeu pelos rios e contra as barragens

Esquerda.net – 14 de março de 2017

O GEOTA, através do projeto Pelos Rios Livres, e o SOS Salvem o Surf juntaram-se a associações de outros seis países europeus para lançar o movimento Save Europe’s Rivers. Ambientalistas denunciam impactos das barragens nos ecossistemas.


Lançado movimento internacional para proteger os rios da Europa

Wilder – 14 de março de 2017

O GEOTA, através do projeto Pelos Rios Livres, e o SOS Salvem o Surf juntaram-se a associações de outros seis países europeus para lançar o movimento Save Europe’s Rivers. Ambientalistas denunciam impactos das barragens nos ecossistemas.


Temos mesmo que proteger os nossos rios

Beachcam – 14 de março de 2017

Em Portugal, o GEOTA e a SOS Salvem o Surf são, para já, os colectivos aderentes…
Save Europe’s Rivers- Salvem os rios da Europa é uma iniciativa criada por associações ambientais de 7 países europeus, com o objectivo de alertar para as consequências negativas provocadas pela existência de mais de um milhão de barreiras nos cursos de água do Velho Continente.


Foram mais olhos que barragens

Expresso – 18 de fevereiro de 2017

Lançado há uma década, o plano nacional de barragens não se concretizou como previsto pelo Governo Sócrates


Barragens: Suspeitas de corrupção e tráfico de influências originam queixa na PGR

Esquerda.net – 17 de fevereiro de 2017

Ambientalistas do GEOTA apresentaram queixa-crime na Procuradoria-Geral da República para que seja desencadeada uma investigação aos negócios das novas barragens de Trás-os-Montes, da Iberdrola e EDP.


Ambientalistas querem investigação a Barragens do Tua, Sabor e do Tâmega

Rádio Brigantia – 17 de fevereiro de 2017

O Grupo de Estudos do Ordenamento do Território e Ambiente (GEOTA) entregou esta manhã uma queixa-crime na Procuradoria-Geral da República, em Lisboa, onde pedem uma investigação aos responsáveis políticos e técnicos na construção nas Barragens do Tua, Sabor e do Tâmega. Os ambientalistas pedem investigação por alegados crimes que podem configurar corrupção e tráfico de influências.


GEOTA pede ao Ministério Público para investigar construção de barragens – VÍDEO

RTP – 16 de fevereiro de 2017 

Os ambientalistas querem que o Ministério Público investigue pelo menos 17 anos de decisões políticas sobre as barragens de Foz Tua, Tâmega e Baixo Sabor. O GEOTA acaba de entregar uma queixa-crime na Procuradoria Geral da República, com mais de mil páginas.


Suspeitas de corrupção na construção de barragens – VÍDEO

TVI  – 16 de fevereiro de 2017 

Ambientalistas dizem que o grupo Oderbrecht pagou mais de 750 mil euros


Suspeitas de corrupção nas barragens do Tâmega, Tua e Sabor – VIDEO

SIC Notícias – 16 de fevereiro de 2017 

A associação ambientalista GEOTA entregou na Procuradoria-Geral da Repúblicaum pedido de investigação ao que diz serem suspeitas de corrupção e tráfico de influências nas barragens do Tâmega, Tua e Sabor. João Joanaz de Melo diz que os consumidores vão pagar uma fatura de 10 milhões de euros.


Ambientalistas pedem investigação criminal às novas barragens de Trás-os-Montes – VÍDEO

SIC Notícias – 16 de fevereiro de 2017 

O grupo ambientalista GEOTA apresentou hoje uma queixa na Procuradoria-Geral da República por suspeitas de corrupção e tráfico de influências em três novas barragens. Em causa estão as barragens do Sabor e do Tua, já concluídas, e o complexo de três barragens no Tâmega, cuja construção teve início recentemente. Joanaz de Melo, do grupo ambientalista, diz que estão em causa vários crimes que envolvem governantes, dirigentes da administração pública e empresas.


GEOTA apresenta queixa-crime por suspeitas de corrupção na construção de barragens

SIC Notícias – 16 de fevereiro de 2017

O GEOTA, Grupo de Estudos de Ordenamento do Território e Ambiente, apresentou hoje uma queixa na Procuradoria-Geral da República por suspeitas de corrupção e tráfico de influências na construção de três novas barragens.


Portugal em Direto – ÁUDIO

Antena 1 – 16 de fevereiro de 2017

Intervenção de João Joanaz de Melo, entre os minutos 14:00 até 16:10.


Ambientalistas pedem investigação criminal às novas barragens de Trás-os-Montes

Público – 16 de fevereiro de 2017

Pedem uma investigação às decisões tomadas pelos responsáveis políticos e técnicos envolvidos na construção destas novas barragens.


Ambientalistas apresentam queixa-crime contra barragens do Sabor, Tua e Tâmega

Expresso – 16 de fevereiro de 2017

“Suspeitas de corrupção e tráfico de influências” relacionados com a aprovação e construção das novas barragens de Trás-Os-Montes, levam GEOTA a apresentar uma queixa-crime na Procuradoria-Geral da República


Ambientalistas pedem investigação criminal às novas barragens de Trás-os-Montes

Sapo 24/Lusa – 16 de fevereiro de 2017

A organização ambientalista GEOTA informou hoje que apresentou uma queixa-crime na Procuradoria-Geral da República com o propósito de que seja desencadeada uma investigação criminal aos negócios relacionados com as novas barragens de Trás-os-Montes.


Barragens. Associação ambientalista pede investigação a decisões “potencialmente criminais”

Rádio Renascença- 16 de fevereiro de 2017

GEOTA diz ter documentação que levanta suspeitas de corrupção e tráfico de influências e avisa: permissão para construir tantas barragens vai custar 10 mil milhões de euros aos contribuintes.


Noticiário das 11 – ÁUDIO

Rádio Renascença – 16 de fevereiro de 2017

Intervenção de João Joanaz de Melo, entre os minutos 01:40 aos 03:32.


Ambientalistas pedem investigação criminal às novas barragens

Diário de Notícias/Lusa – 16 de fevereiro de 2017

Em causa estão as barragens do Sabor e do Tua, já concluídas, e o complexo de três barragens no Tâmega


Portugal junta-se a dez países para investigar Odebrecht e Lava-Jato

Jornal de Negócios – 17 de fevereiro de 2017

A PGR é uma de 11 entidades que esta quinta-feira se juntaram para acelerar a partilha de informações e criar grupos de investigação conjuntos para investigar eventuais actividades “ilícitas” da Odebrecht no âmbito da operação Lava-Jato nos seus países.


GEOTA pede ao Ministério Público para investigar construção de barragens

Jornal de Negócios – 16 de fevereiro de 2017

O grupo entregou uma queixa-crime na PGR a pedir uma “investigação às decisões tomadas pelos responsáveis políticos e técnicos envolvidos na construção de novas barragens”. Em causa estão obras que integram o Programa Nacional de Barragens de Elevado Potencial Hidroeléctrico, aprovado durante o governo de Sócrates.


Barragens. Governo Sócrates enfrenta suspeitas de corrupção

Observador – 16 de fevereiro de 2017

A associação ambientalista GEOTA apresentou esta manhã uma queixa-crime por suspeitas de corrupção e tráfico de influências nas decisões tomadas no âmbito do programa nacional de barragens.


Barragens sob suspeita de corrupção

Correio da Manhã – 16 de fevereiro de 2017

GEOTA apresenta queixa junto da Procuradoria-Geral da República.


Ambientalistas querem investigação às barragens do Tua, Foz do Sabor e Tâmega

Mensageiro de Bragança – 16 de fevereiro de 2017

O GEOTA – Grupo de Estudos de Ordenamento do Território e Ambiente entregou, esta manhã de quinta-feira, na Procuradoria-Geral da República, em Lisboa, uma queixa-crime pedindo uma investigação às decisões tomadas pelos responsáveis políticos e técnicos envolvidos na construção de novas barragens.


Barragens: Suspeitas de corrupção e tráfico de influências chegam à PGR

Sábado – 16 de fevereiro de 2017

GEOTA entregou uma queixa-crime na Procuradoria-Geral da República para que o Ministério Público investigue as decisões relativas à construção dos empreendimentos do Plano Nacional de Barragens


Ambientalistas pedem investigação criminal às novas barragens de Trás-os-Montes

Ambiente Magazine – 16 de fevereiro de 2017

A organização ambientalista GEOTA informou hoje que apresentou uma queixa-crime na Procuradoria-Geral da República com o propósito de que seja desencadeada uma investigação criminal aos negócios relacionados com as novas barragens de Trás-os-Montes, avança a Lusa.


Fridão coloca em risco Amarante

Ambiente Magazine – 16 de fevereiro de 2017

A associação ambientalista Geota alega que a construção da barragem do Fridão apresenta um risco para Amarante, afirma hoje o Correio da Manhã. “Em caso de uma falha grava não existiria tempo para evacuar a cidade. A ponte de São Gonçalo seria atingida no espaço de 12 minutos por um “muro” de água com 14 metros de altura”, dise ao CM Joanaz de Melo, do Grupo de Estudos de Ordenamento do Território e Ambiente.


Pede-se investigação criminal às novas barragens de Trás-os-Montes

Notícias ao Minuto/Lusa – 16 de fevereiro de 2017

A organização ambientalista GEOTA informou hoje que apresentou uma queixa-crime na Procuradoria-Geral da República com o propósito de que seja desencadeada uma investigação criminal aos negócios relacionados com as novas barragens de Trás-os-Montes.


GEOTA pede investigação criminal às decisões de construção das barragens do Tâmega, Tua e Sabor

Notícias do Nordeste – 16 de fevereiro de 2017

O Grupo de Estudos de Ordenamento do Território e Ambiente (GEOTA ) entregou, esta manhã, na Procuradoria-Geral da República, em Lisboa, uma queixa-crime pedindo uma investigação às decisões tomadas pelos responsáveis políticos e técnicos envolvidos na construção das barragens de Foz Tua e Sistema Eletroprodutor do Tâmega (barragens de Daivões, Gouvães e Alto Tâmega), Fridão e, também, ao Aproveitamento Hidroelétrico do Baixo Sabor.


Ambientalistas pedem investigação criminal às novas barragens de Trás-os-Montes

Correio da Manhã Canadá – 16 de fevereiro de 2017

A organização ambientalista GEOTA informou hoje que apresentou uma queixa-crime na Procuradoria-Geral da República com o propósito de que seja desencadeada uma investigação criminal aos negócios relacionados com as novas barragens de Trás-os-Montes.


Ambientalistas pedem investigação criminal às novas barragens de Trás-os-Montes

Impala News / Lusa – 16 de fevereiro de 2017

A organização ambientalista GEOTA informou hoje que apresentou uma queixa-crime na Procuradoria-Geral da República com o propósito de que seja desencadeada uma investigação criminal aos negócios relacionados com as novas barragens de Trás-os-Montes.


Ambientalistas pedem investigação às novas barragens

Dinheiro Vivo/Lusa – 16 de fevereiro de 2017

Em causa estão as barragens do Sabor e do Tua, já concluídas, e o complexo de três barragens no Tâmega, cuja construção teve início recentemente.


Ambientalistas apresentam queixa na Procuradoria-Geral

Onda Livre FM – 16 de fevereiro de 2017

Esta manhã, o Grupo de Estudos do Ordenamento do Território e Ambiente (GEOTA) entregou uma queixa-crime na Procuradoria-Geral da República, em Lisboa, onde pedem uma investigação aos responsáveis políticos e técnicos na construção das Barragens do Tua, Sabor e do Tâmega.


Suspeitas de corrupção e tráfico de influências nas barragens do Tâmega

Rádio Região de Basto – 16 de fevereiro de 2017

O GEOTA – Grupo de Estudos de Ordenamento do Território e Ambiente entregou, na Procuradoria-Geral da República, em Lisboa, uma queixa-crime pedindo uma investigação às decisões tomadas pelos responsáveis políticos e técnicos envolvidos na construção de novas barragens.


Ambientalistas pedem investigação criminal às novas barragens

Diário de Trás-os-Montes/Lusa – 16 de fevereiro de 2017

A organização ambientalista GEOTA informou hoje que apresentou uma queixa-crime na Procuradoria-Geral da República com o propósito de que seja desencadeada uma investigação criminal aos negócios relacionados com as novas barragens de Trás-os-Montes.


Rutura na futura barragem de Fridão pode inundar baixa de Amarante em 12 minutos – VÍDEO

SIC Notícias – 13 de fevereiro de 2017

O professor de Engenharia do Ambiente e ativista do GEOTA, Joanaz de Melo, alertou esta segunda-feira que uma rutura na futura barragem de Fridão poderia inundar toda a baixa de Amarante em apenas 12 minutos.


“Há alternativas muitíssimos melhores” – VÍDEO

SIC Notícias – 9 de fevereiro de 2017

A Iberdrola apresenta hoje o Sistema Eletroprodutor do Tâmega, um investimento de 1.500 milhões de Euros que contempla a construção de três barragens: Daivões, Gouvães e Alto Tâmega. Joanaz de Melo, do GEOTA, esteve na Edição da Manhã de hoje para falar sobre o projeto.


Barragens do Alto Tâmega? “Uma fraude”, dizem os ambientalistas

SAPO 24 – 9 de fevereiro de 2017

A associação ambientalista GEOTA reafirmou hoje a sua oposição à construção das três novas barragens do Alto Tâmega e acusou o projeto de representar “uma fraude”, contestando os números da produção elétrica apresentados pela concessionária Iberdrola.


Investimento de 1.500 M€ para construção de 3 barragens – VÍDEO

SIC Notícias – 9 de fevereiro de 2017

O arranque oficial da construção do sistema eletroprodutor do Tâmega foi feito esta manhã, em Ribeira de Pena. É um investimento de 1.500 milhões de euros e prevê a construção de três barragens, no Alto Tâmega, Daivões e Gouvães. É considerada uma das maiores empreitadas de sempre no setor elétrico em Portugal, mas associações ambientais estão contra e dizem que o projeto é uma fraude.


Construção de barragens no Alto Tâmega contestada por ambientalistas – VÍDEO

SIC Notícias – 9 de fevereiro de 2017

O Sistema Eletroprodutor do Tâmega, que foi esta quinta-feira apresentado em Ribeira de Pena, está a ser contestado por ambientalistas. A Iberdrola apresentou o projeto hidroelétrico para a construção de três barragens, no valor de 1.500 milhões de euros


Ambientalistas vão continuar contestação às barragens

TSF – 9 de fevereiro de 2017

Ambientalistas dizem que barragens do Alto Tâmega são “uma fraude”

(…) A associação ambientalista GEOTA reafirmou esta quinta-feira a sua oposição à construção das três novas barragens do Alto Tâmega e acusou o projeto de representar “uma fraude”, contestando os números da produção elétrica apresentados pela concessionária Iberdrola. (…)


Barragens da Iberdrola no Alto Tâmega são “uma fraude”

Esquerda.net – 9 de fevereiro de 2017

Associação ambientalista GEOTA defende que o retorno real das barragens “é insignificante face aos impactes sociais, ambientais, culturais e económicos do projeto”. Bloco propôs eliminação de subsídio de 22 milhões às barragens da Iberdrola e da EDP.


Iberdrola apresentou “um dos seus maiores projectos europeus” no Tâmega

Publico – 9 de fevereiro de 2017

Ambientalistas contestam sistema que trará muito betão e pouca produção. Empresas portuguesas ganharam 80% dos contratos que já foram lançados.

(…) São estes números que são contestados pelos ambientalistas: a Rios Livres recorda que uma das barragens do sistema, a de Gouvães, não é uma mera central de turbinagem, mas sim de bombagem de água, e ela própria consumidora de energia. “A central será utilizada para bombear água de, e para, a albufeira de Daivões, através de um túnel hidráulico. Portanto, aos valores de produção de electricidade bruta anunciados tem de ser descontada a electricidade gasta a transportar água, o que faz descer a produção para valores líquidos muito mais baixos (333 GWh/ano) — ou seja, 0,6% dos cerca de 52802 GWh/ano de disponibilidade de energia eléctrica para consumo nacional, em 2014”, afirma a associação, em comunicado.(…)


Barragens da Iberdrola são “uma fraude”, denuncia Joanaz de Melo – VÍDEO

Expresso/SIC Notícias – 9 de fevereiro de 2017

O professor de Engenharia do Ambiente diz que a construção de três barragens pelos espanhóis da Iberdrola no norte do país vai encarecer a fatura da luz entre 2% e 3%. Segundo o presidente da GEOTA, o empreendimento é irrelevante na produção de energia elétrica e vai afetar a economia local do Tâmega


Governo defende aspectos ambientais positivos das barragens no Tâmega

Negócios – 9 de fevereiro de 2017

Apesar do impacto ambiental que as três centrais da Iberdrola vão ter, a energia renovável que vai ser produzida vai contribuir para a redução de emissões poluentes em Portugal, defende o Executivo.

(…) O projecto tem sido bastante criticado pelo grupo ambientalista Grupo de Estudos de Ordenamento do Território e Ambiente (GEOTA) que considera que as três barragens vão encarecer a factura da luz em 2% a 3%. “É uma fraude”, disse o presidente da GEOTA em entrevista à SIC Notícias esta quinta-feira. João Joanaz de Melo defende que o projecto é irrelevante em termos de produção de energia eléctrica e que vai afectar a economia local do Tâmega. (…)

 


Maior complexo de barragens do país nasce no Tâmega

Expresso – 8 de fevereiro de 2017

Iberdrola vai investir 1500 milhões de euros para construir três barragens na região Norte. O projeto começou com a entrega de um “cheque” de 303 milhões de euros ao Governo de Sócrates, em 2008

(…)Associações de defesa do ambiente como o grupo GEOTA vêm-se manifestando contra as novas barragens, concluindo que o seu contributo para responder ao consumo de energia no país será residual. Na ótica destes movimentos, seria preferível e economicamente mais racional investir em soluções de eficiência energética que baixassem o consumo de eletricidade em Portugal. Em contraste, os promotores dos empreendimentos argumentam que as barragens permitem ao país explorar um recurso endógeno e travar a importação de combustíveis fósseis para a produção de eletricidade (como carvão e gás natural) (…)


Ana Brazão e Pedro Santos sobre o Plano Nacional de Barragens – ÁUDIO

É Apenas Fumaça – 5 de janeiro de 2017

A Fumaça entra no novo ano com um assunto que, desde cedo, carece de escrutínio: o Plano Nacional de Barragens. Apresentado como indispensável para o cumprimento de metas ambientais e com o objectivo de aproveitar o potencial hídrico português, acarreta, também, custos para a carteira dos contribuintes e para o ambiente, numa realidade que parece distanciar-se da retórica política e numa afronta direta à ideia de energia verde. Fomos conversar com a Ana Brazão e o Pedro Santos, do projecto Rios Livres GEOTA, que têm desempenhado um papel muito activo na divulgação do impacto social e ambiental do plano junto das populações locais e na sensibilização da opinião pública, mas também do poder local e central, para a emergência de uma discussão séria e inclusiva sobre as reais necessidades de investimento em megaprojetos de produção de energia hidroelétrica.


600 sobreiros vão ser abatidos em Trás-os-Montes

UTAD TV – 26 de dezembro de 2016

Governo autorizou o abate de mais de 600 sobreiros na área onde a empresa de energia Iberdrola vai construir a barragem de Gouvães, no rio Tâmega, noticia o jornal “Público”.


Barragem abate 608 sobreiros

Ambiente Magazine – 26 de dezembro de 2016

Foi autorizado o abate de 608 sobreiros em cerca de 4,6 hectares localizados na área onde irá ser construída a barragem de Gouvães, que integra o Sistema Eletroprodutor do Tâmega (SET) e abrange os concelhos de Cabeceiras de Basto, Vila Pouca de Aguiar e Ribeira de Pena, noticia hoje o Jornal de Notícias.


Governo autoriza abate de 608 sobreiros para construir barragem

Esquerda.net – 26 de dezembro de 2016

Iberdrola com luz verde para arrancar árvores, algumas das quais centenárias, para a construção de barragens no rio Tâmega que não foram suspensas na revisão do Plano Nacional de Barragens.


Governo dá luz verde ao abate de 600 sobreiros em Trás-os-Montes

Público – 26 de dezembro de 2016

Iberdrola já começou a cortar árvores para construir barragens do Tâmega. Movimento Rios Livres diz que algumas são centenárias.


Barragem do Tua já encheu, mas contrapartidas para a região ainda andam no ar

Público – 15 de outubro de 2016

Durante cinco anos, fez-se tudo pelo paredão da barragem e muito pouco pelas medidas compensatórias. Um caldo de inércia e desconfiança paralisou o processo. Uma história do Portugal interior.


Metano gerado nas barragens equivale ao das emissões de dióxido de carbono do Brasil

Observador – 29 de setembro de 2016

O metano – um gás que gera 25 vezes mais efeito de estufa do que o dióxido de carbono – libertado nas barragens pode equivaler a todas as emissões do Brasil, revela um estudo a publicar na BioScience.


Plano Nacional de Barragens: Um gigante que produz quase nada | VÍDEO

Biosfera/RTP2 – 24 de setembro de 2016

Quase uma década após o lançamento do Plano Nacional de Barragens, apenas três grandes projetos subsistem. O Governo reavaliou o Plano no início do ano e manteve Foz Tua, Fridão e o Sistema Eletroprodutor do Tâmega. Os três empreendimentos vão contribuir com 1,7% para o fornecimento de eletricidade.
Muito pouco, dizem os críticos, face à vaga de destruição que provocam.


“Justiça para um amigo assassinado”, pede a Plataforma Salvar o Tua

Rádio Onda Livre – 23 de setembro de 2016

Ainda sobre se é possível salvar o Tua, João Joanaz de Melo, coordenador da Plataforma Salvar o Tua, considera que tal só seria possível se as autoridades competentes voltassem atrás com as decisões tomadas. Não acredita grandemente nessa reversão, por isso, pede justiça para um amigo assassinado.


Ambientalistas saem da Comissão de Acompanhamento da barragem do Tua

Rádio Brigantia – 23 de setembro de 2016

Os ambientalistas representados pela Confederação Portuguesa das Associações de Defesa do Ambiente suspenderam a sua representação na Comissão de Acompanhamento Ambiental do Aproveitamento Hidroeléctrico de Foz Tua.


Comissão de Acompanhamento Ambiental do Aproveitamento Hidroelétrico de Foz Tua reage à tomada de posição das ONGA

Notícias do Nordeste – 23 de setembro de 2016

Comissão de Acompanhamento Ambiental do Aproveitamento Hidroelétrico de Foz Tua reage à tomada de posição das ONGA


Comissão de Acompanhamento Ambiental do Aproveitamento Hidroelétrico de Foz Tua diz não se rever na decisão das associação ambientalistas

Rádio Onda Livre – 23 de setembro de 2016

“As demais entidades que compõem a Comissão de Acompanhamento Ambiental do Aproveitamento Hidroelétrico de Foz Tua não se revêm na tomada de posição das Organizações Não Governamentais de Ambiente”, nomeadamente a GEOTA e a Plataforma Salvar o Tua.


Barragem de Foz Tua: «comissão ambiental faz o jogo da EDP»

Abril Abril – 22 de setembro de 2016

Associações ambientalistas suspenderam a representação na Comissão de Acompanhamento Ambiental (CAA) da barragem de Foz Tua e acusam a Agência Portuguesa do Ambiente (APA) de ser «conivente com incumprimentos vários por parte da EDP».


Ambientalistas abandonam Comissão de Acompanhamento da Barragem do Tua

Ambiente Magazine – 22 de setembro de 2016

As associações ambientalistas representadas na Comissão de Acompanhamento Ambiental (CAA) da Barragem do Tua anunciaram hoje que decidiram suspender a sua representação neste órgão, por alegados incumprimentos das medidas de compensação e contrapartidas.


Ambientalistas não vão participar mais na Comissão de Acompanhamento Ambiental do Aproveitamento Hidroelétrico de Foz Tua

Rádio Onda Livre – 22 de setembro de 2016

A Confederação Portuguesa das Associações de Defesa do Ambiente decidiu suspender a sua representação na Comissão de Acompanhamento Ambiental do Aproveitamento Hidroelétrico de Foz Tua, por considerar que este órgão está a ser conivente com incumprimentos vários por parte da EDP.


Ambientalistas retiram-se da Comissão de Acompanhamento Ambiental da barragem de Foz Tua 

Notícias do Nordeste – 22 de setembro de 2016

Confederação Portuguesa das Associações de Defesa do Ambiente (CPADA) decidiu suspender a sua representação na Comissão de Acompanhamento Ambiental do Aproveitamento Hidroelétrico de Foz Tua (CAA-AHFT). Acusa aquele órgão de ser conivente com incumprimentos vários por parte da EDP.


Ambientalistas batem com a porta da Comissão de Acompanhamento Ambiental do Aproveitamento Hidroelétrico de Foz Tua | ÁUDIO

Rádio Onda Livre – 22 de setembro de 2016

A Confederação Portuguesa das Associações de Defesa do Ambiente decidiu suspender a sua representação na Comissão de Acompanhamento Ambiental do Aproveitamento Hidroelétrico de Foz Tua.


Portugal em Direto | ÁUDIO, ao minuto 05:16

Antena 1 – 22 de setembro de 2016

Associações ambientalistas abandonaram o organismo que está a acompanhar a polémica construção da barragem do Tua. Acusam a Comissão de negligência e de estar a fazer o jogo da EDP.


Ambientalistas abandonam Comissão de Acompanhamento da barragem do Tua

LUSA/Público e Observador, SIC Notícias, Notícias ao Minuto – 22 de setembro de 2016

Os ambientalistas acusam a Comissão e Acompanhamento de “ser conivente com incumprimentos vários por parte da EDP”.


Bloco quer esclarecimentos sobre linha desativada do Tua

Notícias ao Minuto – 7 de setembro de 2016

O Bloco de Esquerda (BE) quer que o Governo esclareça como vai assegurar o serviço público de transporte às populações do vale do Tua, em Trás-os-Montes, depois de ter desclassificado a Linha do Tua da rede ferroviária nacional.


Desclassificação da Linha do Tua “não é a atitude correta para com o povo transmontano”| ÁUDIO

Onda Livre – o1 de setembro de 2016

“Um golpe que não se justifica” e uma atitude que “não é a correta para com o povo transmontano”. O Movimento Cívico já reagiu à desqualificação de dois troços da Linha do Tua, entre a Estação do Tua e a Barragem de Foz Tua, e entre Brunheda e Mirandela. Deixam deste modo de pertencer à rede ferroviária nacional. Filipe Esperança não vê justificações para esta decisão do Governo.


Governo desclassifica troços da Linha do Tua para permitir a implementação do plano de mobilidade

Rádio Brigantia – 31 de agosto de 2016

É considerada por muitos a última machadada na linha do Tua. Alguns troços da Linha do Tua foram desclassificados pelo governo. O traçado entre a estação do Tua e a barragem e entre Brunheda e Mirandela foram retirados da rede ferroviária nacional, como forma de permitir a implementação do plano de mobilidade do Tua.


Linha do Tua deixa de integrar rede ferroviária nacional

Sapo 24 – 30 de agosto de 2016

Desde 1991 que vários troços da linha foram progressivamente encerrados nas últimas décadas. A linha do Tua vai desaparecer definitivamente da rede ferroviária nacional para dar lugar a um projeto turístico integrado no plano de mobilidade exigido como contrapartida da construção da barragem de Foz Tua.


Plano turístico para o Tua em marcha

Público – 21 de agosto de 2016

Mário Ferreira, da Douro Azul, vai investir cinco milhões de euros e a EDP outros dez. Acordo deve vigorar por 50 anos mas ainda não se sabe como serão garantidos transportes às populações.


Os outros carris do Tua | ÁUDIO

Antena 1 – 1 de agosto de 2016

«Os outros carris do Tua» grande reportagem de Nuno Amaral, com pós produção áudio de Rui Fonseca. A água começa a subir no Vale do Tua. Uns esperam com ansiedade as oportunidades de negócio, outros pedem a paragem da obras da barragem.


Ir é o Melhor Remédio – Ir ao Douro e ao Tua | VÍDEO

SIC – 08 de julho de 2016

Paisagens contrastantes mas ligadas pelos dois rios, pelas vinhas e por modos de vida semelhantes. Numa altura em que a barragem do Tua já começou a encher, mostramos o vale como era antes. Porque “Ir é o Melhor Remédio”.


GEOTA: as praias portuguesas estão cheias de lixo, mas só é visível no inverno

Ambiente Magazine – 08 de julho de 2016

Pelo 26.º ano consecutivo milhares de pessoas monitorizaram o estado da costa nacional através do programa de educação ambiental Coastwatch, da associação GEOTA. As conclusões da campanha 2015/2016, agora apresentadas, merecem reflexão: muito lixo, erosão e pressão urbanística foram os principais problemas identificados.


Praias portuguesas estão cheias de lixo, mas só se vê no Inverno

Diário Digital – 07 de julho de 2016

Pelo 26.º ano consecutivo milhares de pessoas monitorizaram o estado da costa nacional através do programa de educação ambiental Coastwatch, da associação GEOTA.


Mais de 3.000 portugueses tornaram-se “vigilantes da costa”

Wilder – 07 de julho de 2016

Entre Outubro de 2015 e Maio de 2016, mais de 3.000 portugueses de todas as idades percorreram o litoral e vestiram a camisola de “vigilantes da costa”. Conheça os resultados do 26º Coastwatch.


Os últimos dias do Vale do Tua

Diário de Trás os Montes – 24 de junho de 2016

A EDP fechou o circuito de derivação que permitia ao rio Tua juntar-se ao Douro e a albufeira da barragem começou a encher sem o consentimento da Agência Portuguesa do Ambiente.


Tua: Cristas e Portas terão sido essenciais para a obra da Mota-Engil

Diário de Notícias – 24 de junho de 2016

Pouco depois do ex-vice-primeiro-ministro Paulo Portas ser contratado pela empresa que lidera o consórcio de construção da obra, o programa “Sexta às 9”, da RTP, recorda o seu envolvimento no processo.


Portas e Cristas abriram caminho à Mota Engil no Vale do Tua | VÍDEO

RTP 1 – 24 de junho de 2016

Paulo Portas e Assunção Cristas foram decisivos para que a polémica barragem do Tua avançasse e se tornasse hoje numa obra irreversível. Enquanto ministros do anterior governo, foram eles que colocaram o diplomata Seixas da Costa a negociar a aprovação da barragem junto da UNESCO. Meses depois da sua intervenção, a UNESCO rasgou o parecer negativo que tinha dado à obra e viabilizou o avanço das gruas da Mota Engil.

Portas e Cristas abriram caminho à Mota Engil no Vale do Tua


Decisões de Portas e Cristas beneficiaram Mota-Engil | VÍDEO

RTP 1 – 24 de junho de 2016

Paulo Portas e Assunção Cristas participaram activamente, enquanto governantes, em decisões que beneficiaram o grupo Mota-Engil. O grupo para onde foi agora trabalhar o ex-presidente do CDS.

Decisões de Portas e Cristas beneficiaram Mota-Engil – País – RTP Notícias


Barragem do Tua começou a encher em fase experimental

Rádio Brigantia – 22 de junho de 2016

A barragem de Foz Tua está realmente a encher, naquilo que será uma fase experimental do processo. A EDP ainda não clarificou qual é o ponto da situação da barragem, mas os movimentos e associações contra a construção do empreendimento hidroeléctrico têm denunciado o encerramento de comportas e início do processo que consideram “a morte lenta do Vale do Tua”.


Barragem de Foz Tua já está em enchimento | ÁUDIO

Rádio Onda Livre – 22 de junho de 2016

A barragem de Foz Tua está realmente a encher, naquilo que será uma fase experimental do processo. A EDP ainda não clarificou qual é o ponto da situação da barragem, mas os movimentos e associações contra a construção do empreendimento hidroeléctrico têm denunciado o encerramento de comportas e início do processo que consideram “a morte lenta do Vale do Tua”.


Barragem começou a encher, mas Plataforma Salvar o Tua diz que vai continuar a lutar

Notícias do Nordeste – 21 de junho de 2016

Desde o passado dia 13 de junho que a futura albufeira da barragem de Foz Tua começou a encher. A EDP já fechou o circuito de derivação que permitia a liberdade do rio Tua, ficando agora as suas águas selvagens aprisionadas contra um paredão que é objeto de protestos e de inconformismos.


Plataforma Salvar o Tua questiona primeiros enchimentos de Foz Tua | ÁUDIO 

Rádio Onda Livre – 21 de junho de 2016

Apesar de a EDP ter desmentido a informação, e de alguma imprensa nacional ter avançado que os enchimentos na Barragem de Foz Tua começaram ontem (segunda-feirs), também a Plataforma Salvar o Tua se junta à voz do Movimento Cívico pela Linha do Tua, e garante ter tomado conhecimento, através de habitantes e in loco, que a comporta do sistema de derivação foi fechada há uma semana.


Barragem do Tua começou a encher

Público – 20 de junho de 2016

Plataforma Salvar o Tua vai ser recebida pela Embaixadora que preside à Comissão Nacional da UNESCO.


Câmara de Amarante alerta para crime ambiental no Tâmega | VÍDEO

SIC – 02 de junho de 2016

O presidente da Câmara de Amarante, José Luís Gaspar, diz que o rio Tâmega, que atravessa a cidade, pode ficar sem água durante o verão. O receio da autarquia surge depois do anúncio do Governo, que suspendeu a barragem do Fridão, mas quer manter as barragens do Alto Tâmega, o que, na opinião do município, vai provocar um crime ambiental.


Tua: a barragem que vai engolir um vale

Notícias Magazine – 29 de maio de 2016

O grande muro da barragem está quase pronto. Em breve a água vai inundar o vale. Esta é a reportagem da despedida.

capa_JN_Tua


Em breve esta paisagem… vai desaparecer

VISÃO – 26 de maio de 2016

Em vésperas do enchimento da Barragem de Foz Tua, quisemos ver (uma última vez?) o que vai desaparecer junto às margens de um rio selvagem para dar lugar a um lago artificial com 420 hectares. As despedidas foram adoçadas com conversas genuínas e biscoitos de azeite.

capaVISAO_tua_25.05.2016


A última viagem ao Vale do Tua | GALERIA DE FOTOS

VISÃO – 24 de maio de 2016

Em vésperas do enchimento da Barragem de Foz Tua, quisemos ver (uma última vez?) o que vai desaparecer junto às margens de um rio selvagem para dar lugar a um lago artificial com 420 hectares. As despedidas foram adoçadas com conversas genuínas e biscoitos de azeite


Barragens que barram vidas, paisagens e sonhos – patrimónios que se afogam irreversivelmente

Revista O Instalador – 22 de maio de 2016

No conjunto, as barragens que ainda estão em curso no PNBEPH acrescentam pouco às necessidade elétricas do país, mas acarretam imensos danos ecológicos, ambientais, culturais, paisagísticos e económicos para as atividades locais… Os poucos rios onde ainda existem algumas espécies de peixe em estado selvagem, onde a flora ripícola ainda é autóctone, onde a fauna repousa longe do ruído e da ameaça humana, onde o mundo ainda é puro e fornece o que de melhor tem, são esses os rios que estão a ser fortemente atacados pela ambição das elétricas. Basta! Ainda vamos a tempo de defender o que é nosso e mudar o curso da história.


Ecologistas pedem intervenção da UNESCO para impedir barragem do Tua

Económico – 22 de maio de 2016

EDP pretende avançar com o enchimento da albufeira durante este mês, para começar a produzir energia hidroeléctrica até ao final do primeiro semestre de 2017.


Barragem do Tua é “crime ambiental” | VÍDEO

Público – 22 de maio de 2016

O engenheiro do ambiente João Joanaz de Melo, ligado à plataforma Salvar o Tua, considera que os indicadores económicos destas novas barragens são “patéticos”.


Campanha alerta que estes podem ser os últimos meses do Tua

Público – 22 de maio de 2016

Lançada nas redes sociais, a campanha conseguiu meio milhão de visualizações em menos de dois meses. E à caixa de correio da UNESCO já chegaram mais de 22 mil cartas a apelar para a paragem imediata das obras de construção da barragem, o que a EDP rejeita.

publico_22maio


Una nuova diga in Portogallo sta per distruggere una regione vinicola patrimonio UNESCO

Global Voices italiano – 19 de maio de 2016

Un gigantesco muro di cemento alto 108 metri, che una volta completato costituirà la diga sul fiume Tua, nel nord-est della regione di Tras-o-Montes in Portogallo, è entrato nella fase finale di costruzione. Il muro si colloca nella regione vinicola dell’Alto Duero, inserita dall’UNESCO nella lista dei patrimoni dell’umanità a partire dal 2001.


Gradnja nove brane u Portugalu vodi ka uništavanju dela vinske regije svetske baštine

Global Voices servo-croata – 16 de maio de 2016

Ogroman betonski zid od 108 metara, koji će na kraju pregraditi reku Tua u severoistočnom delu Tras-os-Montes, Portugalija, je u završnoj fazi izgradnje. Smešten je u Alto Douro vinskoj regiji, klasifikovanoj od 2001. godine kao svetska baština od strane UNESCO-a.


Una nueva represa en Portugal está por destruir parte de una región vitivinícola considerada patrimonio mundial

Global Voices espanhol- 12 de maio de 2016

Un gigantesco muro de cemento de 108 metros de altura está en la fase final de construcción y va a dar origen a una represa en la desembocadura del rio Tua, en Trás-os-Montes. La represa está ubicada cerca de la región vitivinícola de Alto Douro, región clasificada en 2001 como Patrimonio Mundial de la Humanidad por la UNESCO.


Portugal: Wen interessiert der Staudamm von Foz Tua wirklich?

Global Voices alemão – 11 de maio de 2016

Eine riesige 108 Meter hohe Betonmauer befindet sich in der Bauendphase. Die Mauer wird in Trás-os-Montes als Staudamm in der Flussmündung des Flusses Tua dienen. Der Damm befindet sich in der Nähe von Alto Douro Vinhateiro, eine Region die 2001 von der UNESCO als Weltkulturerbe ausgezeichnet wurde.


Portugal : A qui profitera réellement le barrage de Foz Tua?

Global Voices francês – 05 de maio de 2016

Un gigantesque mur de béton de 108 m de haut est en fin de construction et va devenir un barrage sur le bassin du rio Tua, dans la province de Trás-os-Montes, au Portugal. Ce barrage se trouve dans le secteur des vignobles du haut Douro, une région classée comme patrimoine mondial par l’UNESCO en 2001. En 2013 a été constituée une plate-forme d’organisations environnementales pour protéger la vallée du Tua. Les écologistes ont dénoncé le fait que ce barrage allait être à l’origine d’un désastre en détruisant un écosystème rare et des terres agricoles par l’inondation de près de 400 hectares d’oliveraies, de vignes, d’habitats protégés.


Campaign to stop Douro dam gathers pace

The Drinks Business – 03 de maio de 2016

Campaigners have issued a rallying cry for support to help stop a dam from being built across one of the world’s most historic wine regions, the Douro Valley, as the €162.3 million project nears completion.


Esporao and Save Tua launch “Last Days of Tua” campaign

Drinks International – 29 de abril de 2016

The Esporão and Save Tua Platform launched the “Last Days of Tua” campaign in March this year in order to raise the public’s awareness towards the end of The Foz Tua dam – which will lead to coastal erosion – and the effect on the region’s wine production.


Portugal: A quem interessa verdadeiramente a barragem de Foz Tua?

Global Voices Portugual – 27 de abril de 2016

Um gigantesco muro de betão com 108 metros de altura está na fase final de construção e vai dar origem a uma barragem na foz do rio Tua, em Trás-os-Montes. A barragem fica perto do Alto Douro Vinhateiro, região classificada em 2001 como Património Mundial da Humanidade pela UNESCO. Em 2013, foi criada uma plataforma de organizações ambientalistas para proteger o Vale do Tua. Os ambientalistas alertam que esta barragem vai contribuir para um “desastre ecológico, destruindo ecossistemas raros e terrenos agrícolas ao inundar cerca de 400 hectares de olival, vinhas e habitats protegidos”.


Stop the Dams in Portugal, por Tony Butt | VÍDEO

The Cleanest Line (blogue da Patagónia) – 24 de abril de 2016

About the same time as I received my copy of Damnation, I also came across a video by Farol de Ideias called Sabor da Despedida. It describes, in a similar way, how the people of the Sabor Valley in Portugal have lost their way of life due to the building of a dam. Thanks to the Baixo Sabor dam, an entire valley has been inundated, taking with it a centuries-old church, two bridges and several small villages. A free-flowing river containing bordalo, boga and other rare species of fish has been replaced by a dead, stagnant reservoir. It is heart-wrenching to see those humble folk genuinely bewildered at why such a monstrosity should be necessary.Now, there is one difference between Celilo Falls and the Sabor Valley. The Dalles dam was built in 1957, but the Baixo Sabor dam was completed in 2015.


O último ano do Tua? Esporão tenta travar avanço da barragem

Diário de Notícias – 20 de abril de 2016

Apesar do avançado estado das obras da barragem de Foz Tua, os responsáveis pela Herdade do Esporão lançaram uma campanha que pretende evitar o enchimento da albufeira


Revisão do plano de barragens do Governo “é uma farsa”, dizem ambientalistas

Expresso – 19 de abril de 2016

Quatro associações ambientalistas nacionais manifestaram-se contra a “insuficiência” das decisões acordadas entre o ministro do Ambiente e os promotores das barragens, que levou ao cancelamento da construção de duas barragens e à suspensão de uma terceira. “Uma farsa”, acusam o Geota e a LPN. A estas juntam-se a Quercus e a ZERO, que também querem ver excluida da lista as barragens da cascata do Tâmega


Ambientalistas e autarcas contestam revisão do Programa Nacional de Barragens

Observador – 19 de abril de 2016

O ministro do Ambiente anunciou o cancelamento de empreendimentos que já tinham caído por decisão das entidades promotoras, mas mantém barragens que terão custos elevados para o país.


Ambientalistas criticam “farsa” do Programa Nacional de Barragens

Esquerda.net – 19 de abril de 2016

O GEOTA e a LPN consideram o Programa Nacional de Barragens “uma farsa” e defendem que o governo deve cancelar outras construções, para além das três anunciadas esta semana pelo ministro do Ambiente.


Início da construção da barragem do Fridão suspenso por três anos | VÍDEO

SIC – 18 de abril de 2016

O Governo anunciou hoje que não avançam as obras das barragens de Alvito, nos concelhos de Castelo Branco e Vila Velha de Ródão, e de Girabolhos, no concelho de Seia. A decisão foi tomada por acordo com as EDP e Endesa e, segundo o ministro do Ambiente, não terá custos para o Estado. Também foi decidido suspender por três anos o início da construção da barragem de Fridão, em Amarante. Os ambientalistas consideram que a decisão do Governo peca por defeito.


Esporão e Plataforma Salvar o Tua lançam campanha de sensibilização

Ambiente Magazine – 17 de abril de 2016

O Esporão e a Plataforma Salvar o Tua (PST) lançaram a campanha “O Último Ano do Tua” para sensibilizar a opinião pública para os efeitos devastadores e irreversíveis que a conclusão da barragem Foz Tua irá provocar na paisagem, na qualidade de vida e no turismo desta região, que integra o Alto Douro Vinhateiro, classificado pela UNESCO como Património Mundial da Humanidade.


Ambientalistas alertam para “o último ano” do Tua

A Voz de Trás os Montes – 17 de abril de 2016

A Plataforma “Salvar o Tua” está a promover a campanha “O último ano do Tua”, uma ação de sensibilização que recorre aos testemunhos de alguns habitantes do vale, que contam a forma como as suas vidas vão ser afetadas pela barragem.


“Rio Tâmega – Poluição e barragens, reflexões”: Flavienses e ambientalistas debatem o futuro do rio Tâmega

Diário Atual – 16 de abril de 2016

Esclarecer os flavienses sobre as consequências da construção das barragens no Rio Tâmega e ao mesmo tempo informar sobre o estado atual de poluição em que se encontra o mesmo foram os objetivos da tertúlia organizada pela Associação de Moradores do Centro Histórico de Chaves (AmoChaves).


Será este o último ano do Tua?

Briefing – 16 de abril de 2016

O Esporão e a Plataforma Salvar o Tua (PST) não querem que seja e para tal lançam a campanha digital “O último ano do Tua”. O objetivo é “sensibilizar a opinião pública para os efeitos devastadores e irreversíveis que a conclusão da barragem Foz Tua irá provocar na paisagem, na qualidade de vida e no turismo desta região”.


‘O Último Ano do Tua’ em documentário

Revista de Vinhos – 16 de abril de 2016

O Esporão e a Plataforma Salvar o Tua (PST) lançam a campanha “O Último Ano do Tua”. O objectivo é sensibilizar a opinião pública para os efeitos “devastadores e irreversíveis” que a conclusão da barragem Foz Tua irá provocar na paisagem, na qualidade de vida e no turismo desta região, que integra o Alto Douro Vinhateiro, classificado pela UNESCO como Património Mundial da Humanidade.


Programa Grandes Manhãs – O Último Ano do Tua | VÍDEO

Porto Canal – 30 de março de 2016

Ricardo Couto à conversa com Jorge Pelicano, o realizador dos documentários da campanha “O Último Ano do Tua”.


Ministério do Ambiente concluiu reavaliação do Plano Nacional de Barragens

Portal da Estrela – 30 de março de 2016

O Ministério do Ambiente anunciou hoje a conclusão da reavaliação do Plano Nacional de Barragens, iniciando agora a discussão com autarquias, promotores, associações ambientalistas e partidos políticos, a qual decorrerá até meados de Abril.


Ministério do Ambiente concluiu reavaliação do Plano Nacional de Barragens

Antena Minho – 30 de março de 2016

O Ministério do Ambiente anunciou hoje a conclusão da reavaliação do Plano Nacional de Barragens, iniciando agora a discussão com autarquias, promotores, associações ambientalistas e partidos políticos, a qual decorrerá até meados de abril.


Vai ser este o último ano do Rio Tua? Depende também de ti

Shifter – 30 de março de 2016

A luta pela preservação da Natureza continua


Serão estes os “últimos dias” do Tua?

Revista Port.com – 18 de março de 2016

Trata-se de um derradeiro esforço para sensibilizar a opinião pública para os efeitos da barragem da Foz Tua.


Plataforma lança campanha sobre os últimos dias do Tua

Revista Urbana – 14 de março de 2016

O fim da construção da barragem da Foz do Tua da EDP tem sido ao longo dos últimos anos alvo de muitas críticas por causa do impacto ambiental, económico e histórico que terá sobre aquela região. A Plataforma Salvar o Tua acaba de lançar a campanha “O último ano do Tua” que pretende revelar através de uma série de mini documentários que irá mostrar como a vida dos habitantes e dos vinicultores será afectada pela construção da barragem.


Ambientalistas querem que o Governo suspenda a construção das barragens do Tâmega e Fridão | VÍDEO

Porto Canal – 26 de fevereiro de 2016

Os ambientalistas querem que o Governo suspenda a construção das barragens do Tâmega e Fridão por considerarem ser um “dos maiores crimes” cometidos em Portugal contra o ambiente. Considera a construção das barragens do Tâmega e FRidão “um dos maiores crimes” ambientais do país. A Quercus e e GEOTA pedem ao Governo que ponha ambiente acima dos interesses económicos.


Ambientalistas pedem suspensão das barragens do Tâmega e Fridão

Lusa no Público e também no Diário Digital, Notícias ao Minuto, Diário de Notícias e TâmegaSousa.pt – 7 de fevereiro de 2016

Quercus e GEOTA pedem que Governo ponha ambiente acima dos interesses económicos


Contestatários criticam retirada de carris no Tua sem contrapartida executada

Notícias de Vila Real – 25 de novembro de 2015

A Plataforma Salvar o Tua criticou o início da retirada, por parte da EDP, dos carris de parte da Linha do Tua sem que tenha sido executado o plano de mobilidade alternativo e imposto como contrapartida.


Plataforma ‘Salvar o Tua’ ameaça agir judicialmente contra o levantamento de carris | VÍDEO

Porto Canal – 23 de novembro de 2015

A Plataforma Salvar o Tua contesta o início do desmantelamento da linha ferroviária. O movimento considera que a EDP não tem legitimidade para avançar com a retirada dos carris, em 18 km da via que deverão ficar submersos no primeiro enchimento da albufeira.


“É um erro e um crime” – Plataforma Salvar o Tua questiona início da retirada de carris na Linha do Tua | ÁUDIO

Rádio Onda Livre – 18 de novembro de 2015

A Plataforma Salvar o Tua contesta o início do desmantelamento da linha ferroviária, considerando que não existe legitimidade por parte da EDP para avançar com a retirada dos carris em 18 km da via, que se prevê que fiquem submersos aquando o primeiro enchimento da albufeira.


Destruição da Linha do Tua pode chegar a tribunal

Jornal de Notícias – 18 de novembro de 2015

A Plataforma Salvar o Tua está a estudar a hipótese de “avançar judicialmente” contra a EDP para travar a destruição da linha ferroviária do Tua.


Contestatários criticam retirada de carris no Tua sem contrapartida executada

Lusa na RTP e também no Porto Canal, Correio da Manhã – 17 de novembro de 2015

A Plataforma Salvar o Tua criticou hoje o início da retirada, por parte da EDP, dos carris de parte da Linha do Tua sem que tenha sido executado o plano de mobilidade alternativo e imposto como contrapartida.


Começou o levantamento da Linha do Tua

Naturlink – 17 de novembro de 2015

Teve início esta semana o levantamento de carris e travessas da Linha do Tua, devido à construção da Barragem de Foz Tua. O Plano de Mobilidade – contrapartida imposta à EDP para o empreendimento hidroelétrico avançar – continua por cumprir.


EDP diz que já há protocolo para mobilidade no Tua

Económico/Lusa – 17 de novembro de 2015

A EDP anunciou hoje existir já um protocolo com um operador privado para a e execução do Plano de Mobilidade no Tua, em Trás-os-Montes, e que o contrato deverá ser assinado nas próximas semanas.


Centro de Amarante pode ficar submerso em 13 minutos

Semanário D’ O Norte – 13 de novembro de 2015

Um acidente na futura barragem de Fridão submerge o centro de Amarante em apenas 13 minutos”. Este é um cenário hipotético mas com possibilidade de acontecer se a construçáo da barragem de Fridão avançar, segundo o projeto Rios Livres.


Caravana pelo Tâmega – Entrevista à NFM e Amarante TV | VÍDEO

NFM – Amarante TV – 6 de novembro de 2015

Ana Brazão e Pedro Santos, do Projeto Rios Livres – GEOTA, conversam com Delfim Carvalho sobre a iniciativa Caravana pelo Tâmega – Chaves a Amarante e sobre a protecção dos rios nacionais, o Programa Nacional de Barragens e as barragens previstas para a bacia do rio Tâmega (Fridão, Daivões, Gouvães e Alto Tâmega).


“De Chaves a Amarante”. Caravana de canoas e caiaques em defesa do Tâmega

Rádio Renascença – 5 de novembro de 2015

Ambientalistas contra a construção de barragens organizam caravana pelo Tâmega, em defesa do rio que une as duas cidades.


Defesa do Rio Tâmega ao rubro. Amarante vai ser palco de um fim-de-semana de contestação

Notícias do Nordeste – 4 de novembro de 2015

Está na estrada a “Caravana pelo Tâmega – De Chaves a Amarante”, iniciativa que quer sensibilizar as populações para as maiores ameaças ao rio Tâmega: a poluição e a construção de quatro grandes barragens neste afluente do Douro.


Caravana pelo Tâmega – 1 a 8 de novembro

Jornal Mapa – 4 de novembro de 2015

Está na estrada a “Caravana pelo Tâmega – De Chaves a Amarante”, iniciativa que quer sensibilizar as populações para as maiores ameaças ao rio Tâmega: a poluição e a construção de quatro grandes barragens neste afluente do Douro.


GEOTA organiza protesto contra a poluição do rio Tâmega em Amarante

Ambiente Magazine – 4 Novembro de 2015

Está na estrada a “Caravana pelo Tâmega – De Chaves a Amarante”, iniciativa que pretende sensibilizar as populações para as maiores ameaças ao rio Tâmega: “a poluição e a construção de quatro grandes barragens neste afluente do Douro”, avança o Grupo de Estudos de Ordenamento do Território e Ambiente (GEOTA).


Caravana pelo Tâmega | VÍDEO

SIC Notícias – 1 de novembro de 2015

Marlene Marque, Presidente do GEOTA, na revista de imprensa da SIC Notícias, a propósito da iniciativa Caravana pelo Tâmega -Chaves a Amarante, que percorre mais de 100 km entre os dias 1 e 8 de novembro.


Port Under Water

Wine&Spirits – 1 de outubro de 2015

The fanfare greeting UNESCO’s recent listing of the wine regions of Burgundy and Champagne as World Heritage Sites of “outstanding universal value” has a hollow ring in Portugal’s Douro Valley. The Alto Douro, with its centuries-old terraces and 2,000-year history of wine production, was granted World Heritage status in 2001. Yet a massive hydroelectric dam, 354 feet high and 886 feet wide, is now being constructed on the Tua River, a tributary of the Douro.


Valley of the dammed

Resurgence & Ecologist – 1 de setembro de 2015

Robin Lee reports on a threat to a unique wine-producing region


Partidos com pouca energia – Artigo de Opinião 

Ambiente Online – 02 de setembro de 2015

É certo que a grande maioria dos partidos fala de necessidades evidentes como mais eficiência energética, transição para as renováveis, melhor mobilidade. Mas no que toca a medidas concretas, fogem ao assunto ou ficam pelo lugar-comum.


Joanaz de Melo diz que plano de mobilidade do Tua é “uma fantasia” | ÁUDIO

Rádio Onda Livre –  19 de maio de 2015

O Plano de Mobilidade do Tua é uma fantasia porque não tem qualquer viabilidade económica. É a opinião de Joanaz de Melo, da Plataforma “Salvar o Tua”, que não acredita que possa haver financiamento comunitário para um projeto que não terá rentabilidade.


“Barragem de Foz Tua é uma benesse que o Governo quis conceder à EDP para ter o domínio desta zona do país” | ÁUDIO

Rádio Onda Livre – 18 de maio de 2015

A Barragem de Foz Tua não traz qualquer desenvolvimento à região, trata-se apenas de uma benesse que o Governo quis conceder à EDP para ter o domínio territorial nesta zona do País. A afirmação é de Paulo Morais, candidato às eleições presidenciais, que esteve presente numa conferência à volta do modelo de desenvolvimento para o Vale do Tua e Alto Douro, no sábado, integrada na semana de empreendedorismo e desenvolvimento rural da Escola Profissional de Agricultura de Carvalhais.


Barragens a mais, dinheiro a menos no bolso dos portugueses

Oje – 24 de abril de 2015

Há muito que o Grupo de Estudos de Ordenamento do Território e Ambiente (GEOTA) vem defendendo a paragem da construção da barragem Foz Tua, numa apreciação que faz com base no Plano Nacional de Barragens que tem estudado ao pormenor, Agora, e uma vez mais, o grupo vem publicamente alertar para os custos (sociais, económicos e culturais) inerentes à decisão de avançar com esta obra. Bem como com as restantes construções de barragens prevista no plano nacional.


Barragens do plano nacional “escondidas” no território e dos portugueses, diz GEOTA

Lusa/Jornal de Negócios  – 24 de abril de 2015

As unidades do novo plano de barragens “estão escondidas” dos portugueses por terem localizações de difícil acesso, mas também por falta de informação, disse a coordenadora do Projecto Rios Livres, do GEOTA, hoje apresentado à imprensa, em Lisboa.


GEOTA: “Há um equívoco ao considerar que a energia produzida nas barragens é verde”

Greensavers – 24 de abril de 2015

Para evitar a destruição de ecossistemas preciosos e o endividamento das famílias nacionais, o GEOTA lançou o projecto “Rios Livres”, com o intuito de preservar os rios selvagens em Portugal, alertar para a importância social, ambiental e económica dos ecossistemas ribeirinhos e travar o PNBEPH.


Custo do plano barragens equivale a pagamento de 13.º mês de eletricidade pelas famílias – GEOTA 

Agência Lusa/RTP – 24 de abril de 2015

O Grupo de Estudos de Ordenamento do Território e Ambiente defendeu hoje que o Plano Nacional de Barragens implica custos para os consumidores “equivalentes a um 13.º mês”, enquanto a poupança energética exige um investimento 10 vezes mais baixo.


Dia da Terra: a política de Ambiente também tem uma história e os seus heróis

Observador – 22 de abril de 2015

O primeiro Dia da Terra foi celebrado há 45 anos. Este ano, em Portugal, foi marcado pela homenagem a personalidades que foram pioneiras no lançamento das políticas de Ambiente.


Dia Internacional de Ação pelos Rios e Contra Barragens | VÍDEO

SIC Notícias – 13 de março de 2015

Professor Joanaz de Melo, dirigente do GEOTA e coordenador técnico da Plataforma Salvar o Tua, na revista de imprensa da SIC Notícias, a propósito do Dia Internacional de Ação pelos Rios e Contra Barragens, celebrado a 14 de março. Com Marta Atalaya.