O que pode fazer pelos Rios


6 – Faça Coisas

É fácil perceber a importância de sensibilizar os cidadãos para que preservem o Ambiente e possam garantir às gerações futuras condições de sobrevivência e usufruto. A educação ambiental procura construir com os cidadãos e cidadãs a promoção de valores sociais, conhecimentos, habilidades, atitudes e competências que vão ao encontro da conservação do meio ambiente, à boa qualidade de vida e a sua sustentabilidade. Desta forma, sugerimos um conjunto de actividades ou medidas que qualquer cidadão poderá optar como forma de sensibilização e de atuação perante uma situação de conflito ambiental.

> Teatro de Rua

O Teatro teve origem ao ar livre e foi sempre uma forma de questionar os problemas dos cidadãos, da sociedade e da Polis. O Teatro de Rua é uma forma teatral oposta ao teatro tradicional, na medida em que não ocorre num espaço confinado, em frente a espectadores que adquiriram um bilhete e pagaram por ele. Pelo contrário, procura interagir directamente com a realidade, utilizando o espaço público e desafiando quem o utiliza.

É uma excelente forma de chamar a atenção para os problemas, de os politizar mas, também, de levar cultura às populações.

Saiba mais:

> Celebre e organize um dia temático

Pense e idealize atividades dedicado à água, aos rios, à natureza. Este evento deverá servir para que os cidadãos e cidadãs possam refletir sobre o assunto, pensar em medidas de preservação dos rios e de que forma é possível manter uma boa qualidade de água e dos ecossistemas ribeirinhos sem comprometer as gerações futuras.

Aproveite efemérides e dias especiais para realizar estas celebrações. Escolha uma destas datas:

  • Dia Mundial das Zonas Húmidas – 02 de fevereiro
  • Dia Internacional de Ação pelos Rios e contra Barragens – 14 de março
  • Dia Internacional da Árvore e das Florestas – 21 de março
  • Dia Mundial da Água – 22 de março
  • Dia Internacional do Castor – 7 de abril
  • Dia Internacional dos Monumentos e Sítios – 18 de abril
  • Dia da Terra – 22 de abril
  • Dia do Sol – 3 de maio
  • Dia Mundial do Comércio Justo – 14 de maio
  • Dia Europeu do Mar – 20 de maio
  • Dia Mundial dos Peixes Migradores – 21 de maio
  • Dia Internacional da Biodiversidade – 22 de maio
  • Dia Europeu dos Parques Naturais – 24 de maio
  • Dia Mundial da Energia – 29 de maio
  • Dia Mundial do Ambiente – 5 de junho
  • Dia Mundial dos Oceanos – 8 de junho
  • Dia Mundial de Combate à Desertificação – 17 de junho
  • Dia Internacional do Surf – 20 de junho
  • Dia do Agricultor – 13 de julho
  • Dia Mundial da Conservação da Natureza – 28 de julho
  • Dia Mundial do Vigilante da Natureza – 31 de julho
  • Dia Internacional para a Preservação da Camada de Ozono – 16 de setembro
  • Dia Europeu Sem Carros – 22 de setembro
  • Dia Mundial de Limpeza de Rios e Praias – Terceiro (3.º) sábado de setembro
  • Dia Mundial dos Rios – Último domingo de setembro
  • Dia Mundial do Turismo – 27 de setembro
  • Dia Mundial do Habitat – Primeira (1.ª) segunda-feira de outubro
  • Dia Nacional da Água – 1 de outubro
  • Dia Mundial do Animal – 4 de outubro
  • Dia Mundial da Alimentação – 16 de outubro
  • Dia Nacional do Mar – 16 de novembro
  • Dia da Floresta Autóctone (Península Ibérica) – 23 de novembro
  • Dia Mundial da Ciência – 25 de novembro
  • Dia Mundial da Conservação da Vida Selvagem – 4 de dezembro

> Limpe o rio

Recolher o lixo dos rios e das suas margens para manter os cursos de água sem poluição é uma atividade que deve ser planeada e pensada. Não só para que quem participa esteja sempre em segurança como para assegurar que não são causados danos à flora e fauna que vive nos ecossistemas ribeirinhos.

Uma ação de limpeza tem os principais objetivos:

  • Remover resíduos sólidos urbanos (i.e. lixo, plásticos, embalagens…);
  • Remoer de resíduos (construção e demolição, elétricos e eletrónicos, monos, pneus, entre outros);
  • Remover de forma seletiva material vegetal (árvores, ramos) que coloque em risco as infraestruturas hidráulicas existentes no curso de água (pontes, pontões, açudes).

Assim, as ações de limpeza têm como objetivo:

  • Manter árvores e arbustos, e a respetiva estrutura radicular, não infestantes nas margens;
  • Manter a vegetação herbácea dos taludes e a respetiva estrutura radicular;
  • Permitir a utilização das águas;
  • Garantir condições de escoamento dos caudais líquidos e sólidos (areia, lama e sedimentos) em situações hidrológicas normais ou extremas;
  • Minimizar o risco para pessoas e bens em situações de cheia;
  • Diminuir os riscos de erosão dos taludes e, consequentemente, o assoreamento das linhas de água.

Para que as linhas de água apresentem:

  • Podas de formação seletivas, que potenciem a criação de sombra sobre o leito;
  • Vegetação ribeirinha em contínuo ao longo das margens;
  • Água e margens com boa qualidade;
  • Traçado curvilíneo e com margens naturais ou naturalizadas;
  • Biodiversidade no ecossistema.

As acções de limpeza necessitam de autorização e são reguladas por Lei [Decreto-Lei n.º 226-A/2007, de 31 de Maio – Estabelece o regime da utilização dos recursos hídricos]. Para conhecer todas as regras e procedimentos necessários, como aqueles que acima reproduzimos, leia este manual elaborado pela Agência Portuguesa do Ambiente.

> Cole papel no chão*

Coloque um grande pedaço de papel, do tipo cenário ou autocolante no chão, num local habitualmente frequentado por muitas pessoas, e escreva palavras de ordem ou frases sobre os problemas que afetam o seu rio.

Desta forma estará a chamar a atenção das pessoas para o problema e pode aproveitar para distribuir informação, prestar acontecimentos e angariar apoiantes.

* no final não se esqueça de o colocar no lixo ou recipiente de reciclagem mais adequado 😉  

 

> Promova concursos: desenho, fotografia, pintura…

Organize um concurso de desenho, fotografia ou pintura cujo tema seja o rio que pretende proteger ou com uma temática mais genérica relacionada com a protecção do Ambiente.

Crie um regulamento de participação, atribua prémios e divulgue nas redes sociais, páginas da internet e nos locais comerciais e públicos da região onde atua.

> Convoque protestos, manifestações, marchas

A manifestação é uma forma de ação de um conjunto de pessoas em favor de uma causa ou em protesto contra algo. As manifestações são uma forma de ativismo e, normalmente, consistem numa concentração ou marcha. Utilizam-se cartazes, faixas, apitos, megafones, tambores, instrumentos musicais e palavras de ordem.

As manifestações têm como objectivo reivindicar e/ou demonstrar a um órgão com Poder (local, regional, nacional, internacional) o descontentamento dos cidadãos  e cidadãs em relação a algo ou o apoio a determinadas iniciativas ou ideias. É habitual que se atribua a uma manifestação um êxito tanto maior quanto maior o número de pessoas envolvidas na mesma.

É uma iniciativa que exige planificação, nomeadamente na forma como é divulgada e promovida. Devem ser ponderados data (deve evitar marcar-se nos dias em que há grandes eventos sociais, culturais, políticos ou desportivos ), hora (em horário laboral ou durante a semana as pessoas têm menos disponibilidade), local (deve ser acessível através de transportes públicos e junto a pontos/edifícios conhecidos) e percurso (a duração e comprimento deve ter em conta a forma como as pessoas se vão deslocar: a pé, de carro próprio, autocarro…) avaliando prós e contras das várias opções.

Existem diferentes tipos de manifestações, mais ou menos complexas:

  • Marcha: manifestação em direcção a determinado local na qual as pessoas que protestam expressam as suas reivindicações. São também frequentes marchas silenciosas;
  • Concentração: reunião para evocação/protesto/celebração de um acontecimento, efeméride ou causa;
  • Vigília: concentração durante um período noturno;
  • Protesto sentado: as pessoas sentam-se no chão ocupando determinada área;
  • Protesto nu: os manifestantes marcham sem roupas, chamando a atenção pela sua nudez;
  • Manifestação de bloqueio: os manifestantes bloqueiam o acesso a um local específico ou a uma via pública;
  • Flash mob: concentração repentina de pessoas num determinado local para realizar uma ação inesperada, previamente combinada, que se dispersa rapidamente após a sua conclusão;
  • Ocupação: invasão ou controlo de um determinado espaço com o objetivo de boicotar o seu uso/funcionamento normal.

> Escreva um Blog

Um blog pode ser definido como um diário na internet onde quem o escreve – blogger – regista acontecimentos do dia-a-dia, pensamentos, partilha fotografias, vídeos… Neste contexto, um blog poderá servir para registar um conjunto de experiências e de acontecimentos relacionados com uma atividade que esteja a ser levada a cabo em determinado troço de um rio.

Esta ferramenta é bastante simples e ganhou muita popularidade pela facilidade de utilização e por se encontrarem disponíveis bastantes modelos pré-definidos. A maioria dos blogs são gratuitos. Estes são alguns dos blogs mais utilizados pela comunidade portuguesa: