Plano Nacional de Barragens: Alvito e Girabolhos canceladas; Fridão suspensa


  • Para compreender a história do Programa Nacional de Barragens, lançado em 2007, clique aqui.
  • Para conhecer o estado das obras no terreno, em fevereiro de 2016, clique aqui.

O Governo apresentou hoje a autarcas, associações de defesa do ambiente e empresas elétricas o resultado daquilo a que chamou “Revisão do Programa Nacional de Barragens”. Além de alterações na construção das novas grandes barragens, foram anunciadas medidas relativamente ao estabelecimento de um regime nacional de caudais ecológicos, para todos os rios; à demolição de estruturas (açudes e barragens) sem utilidade e à reavaliação do plano de mini-hídricas, lançado em 2010.

O GEOTA esteve presente na reunião, está a avaliar o documento e tomará posição pública muito em breve. Relativamente ao Programa Nacional de Barragens, as decisões tornadas públicas pelo Ministério do Ambiente foram as seguintes:

  • Barragens de Girabolhos/Bogueira, rio Mondego | Endesa – CANCELADAS
  • Barragem de Alvito, rio Ocreza | EDP – CANCELADA
  • Barragem de Fridão, rio Tâmega | EDP  – SUSPENSA, por 3 anos
  • Barragens de Daivões, Gouvães e Alto Tâmega (Sistema eletroprodutor do Tâmega), rios Torno e Tâmega | Iberdrola – PROSSEGUEM
  • Barragem de Foz-Tua, rio Tua | EDP – PROSSEGUE

Ajude a parar a barragem do Tua.

Clique AQUI e envie já uma carta à UNESCO.

Visite www.ultimoanodotua.pt